Você já viu a hashtag #FreePussyRiot por aí? Na Copa do Mundo de 2018, viu uma militante que invadiu o campo e cumprimentou o jogador Mbappe? Ambos os casos são relacionados à banda russa que faz música, mas também ativismo político. Elas se apresentaram no Abril Pro Rock, em Recife, nesta sexta-feira (19) e convidaram Mônica Benício, viúva de Marielle Franco, para subir ao palco.

Foto: Pei Fon/Divulgação

Mônica esteve na capital pernambucana para um debate feminista e foi convidada pelo Pussy Riot para fazer uma participação no show. Ela subiu ao palco usando uma balaclava, espécie de máscara que é marca registrada do grupo, e cobrou a identificação dos mandantes do crime que matou Marielle Franco e seu motorista Anderson, assassinados em março de 2018.

A noite desta sexta-feira (19) também contou com as apresentações da cantora Letrux, Banda Demônia, Sinta a Liga CREW, Arrete, entre outras atrações femininas e feministas. A presença de Mônica no palco do festival completou a mensagem da noite sobre empoderamento e luta, e Pussy Riot, mais uma vez, usou o seu espaço para dar visibilidade à causas importantes, para além das fronteiras russas.

Pussy Riot: música e ativismo

O grupo de punk rock russo trouxe desde o seu surgimento o ativismo feminista e críticas sociais. Em 2012, integrantes da banda foram presas por um concerto em protesto na Catedral de Cristo Salvador de Moscovo. Duas delas permaneceram na prisão até 2013, cumprindo 21 meses de pena. O caso teve notoriedade mundial e despertou a atenção até da Anistia Internacional.

Quem pensou que depois que elas saíram da prisão mudaram o conteúdo das músicas, se enganou. A banda continua fazendo performances carregadas de críticas, como na Copa do Mundo, quando uma delas invadiu o campo na final entre Croácia e França, em protesto contra Vladimir Putin. O high five com o jogador da Seleção francesa, Mbappe, foi assunto no mundo inteiro.

Pussy Riot no Brasil

Foto: REUTERS/Darren Staples

 

Luana Maria

Autor Luana Maria

Luana Silva: jornalista, apaixonada por trilhas sonoras e viciada em música.

Mais postagens de Luana Maria

Deixe um comentário