“Se você é mesmo fã dessa banda, me diz aí o nome das mães de todos os integrantes”; “você é poser, só está querendo chamar atenção”. Muitas mulheres já devem ter ouvido frases parecidas ao manifestarem interesse em alguma banda de rock.

É 2019 e ainda há um grande esforço para alcançar a igualdade entre os gêneros. As mulheres continuam escutando com frequência frases sexistas sobre o lugar que devem ocupar na sociedade. Pensando nisso, neste Dia Internacional da Mulher, selecionamos algumas instrumentistas que mostram que, seja no rock ou em qualquer segmento, talento é coisa de mulher.

Kim Gordon

Artista visual, atriz, baixista, guitarrista e cantora norte-americana: Kim Gordon foi uma das fundadoras do Sonic Youth, com Lee Ranaldo e Thurston Moore, em 1981. A banda é considerada um dos principais do rock alternativo mundial. Ela permaneceu no grupo por três décadas e saiu após o fim do seu relacionamento com Thurston, com quem foi casada durante vários anos.

Em 2018, Kim lançou “A Garota da Banda”, sua autobiografia. No livro, que foi bastante elogiado pela crítica, ela aborda de forma bastante aberta momentos desde antes do Sonic Youth até o divórcio e saída do grupo.

Kim Deal

Mais uma Kim, também baixista e uma das grandes figuras do rock alternativo: Kim Deal. A instrumentista norte-americana foi baixista e vocal de apoio do Pixies. Ela também integrou o grupo The Amps e foi uma das líderes do The Breeders, com a sua irmã gêmea, Kelley Deal.

Kelley Deal

Além de terem compartilhado a barriga da mãe, as gêmeas Kelley e Kim Deal dividiram o amor pela música. Kelley é guitarrista e esteve à frente da banda The Breeders.

D’arcy Wretzky

Filha de cantora, D’arcy Wretzky foi incentivada a gostar de música desde a infância. Foi como baixista que ela se encontrou e fez parte da primeira formação do Smashing Pumpkins.

Meg White

A baterista norte-americana integrou o duo The White Stripes, com Jack White, seu ex-marido. Com guitarra, bateria e os vocais de Jack e Meg, a banda emplacou sucessos como “Seven Nation Army” e “Hardest Button to Button”.

Karen Carpenter

Voltando um pouco no tempo para a década de 1970, Karen Carpenter foi um dos nomes mais conhecidos da música na época. A cantora e baterista norte-americana formou com seu irmão, Richard Carpenter, o duo The Carpenters. Karen faleceu em 1983, em decorrência de uma anorexia nervosa.

 

Tina Weymouth

O baixo de uma das mais renomadas bandas de pós-punk, Talking Heads, era tocado por uma mulher: Tina Weymouth. A baixista norte-americana já foi considerada a melhor do mundo pela Bass Play. Ela também fez parte do Tom Tom Club e participou de algumas canções do Gorillaz.

É óbvio que essa é apenas uma lista pequena, comparada com o grande número de artistas mulheres por aí e, assim como em diversas profissões, elas ainda sofrem com a desigualdade. Um exemplo: em um uma lista dos 100 profissionais mais poderosos da indústria fonográfica, publicada pela Billboard, apenas 17 eram do gênero feminino. Valorizar, apoiar e divulgar mulheres na arte é também uma forma de promover o empoderamento feminino e uma sociedade mais igualitária.

 

 

Luana Maria

Autor Luana Maria

Luana Silva: jornalista, apaixonada por trilhas sonoras e viciada em música.

Mais postagens de Luana Maria

Deixe um comentário