was successfully added to your cart.

Construir narrativas através de melodias é o que Lucas, Luccas, Luden e Rafael fazem na banda E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante. Atração confirmada no Lollapalooza 2019, a banda paulista de post-rock instrumental se apresentou em João Pessoa na quinta-feira passada(22). Aproveitei a passagem deles pela cidade para conversar com o guitarrista Lucas Theodoro.

E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante lançou seu primeiro trabalho, um EP homônimo, em 2013. Atualmente eles colecionam outros quatro EPs e um álbum, o Fundação, lançado em setembro deste ano.

Segundo Lucas, nos últimos anos, todos os integrantes experimentaram um processo de amadurecimento que impactou de forma positiva na criação do Fundação.  Para ele, amadurecer “influencia no jeito de pensar como fazer música, ajuda a entender o que é interessante ou não”. Ele destaca também a chegada de Luccas Vilela na banda e as transformações que o baixista trouxe: “eu acho que essa é uma das mudanças que está mais clara na sonoridade da banda. Ter uma pessoa que além de tocar baixo, toca guitarra, adicionou muitos elementos às músicas”.

O grupo atravessa uma fase com muitas novidades. Além do álbum e da confirmação no line-up do Lollapalooza, no sábado (25), subiram pela primeira vez ao palco do Festival DoSol, em Natal.

E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante no Lolla

Tocar no Lollapalooza é o sonho de muitas bandas e artistas. Entre os integrantes do E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante, o clima é de entusiasmo: “é muito bacana, é um festival que abre portas”. Apesar da alegria, o guitarrista diz que independente de onde seja o show, o grupo sempre fica na expectativa e procura entregar-se ao máximo. “É bacana fazer parte disso (do Lolla), mas tentamos manter a credibilidade em todos os shows. Seja no palco grande ou pequeno, a gente precisa dar o nosso melhor”.

Passagem por João Pessoa

Antes de subir ao palco do Miragem, na quinta, a turma do E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante aproveitou para conhecer um pouco a cidade. “A gente tem gostos bem comuns… tomar uma cerveja com o pessoal. Desta vez, conseguimos aproveitar melhor a praia, foi muito legal”.

Luana Maria

Autor Luana Maria

Luana Silva: 24 anos, paraibana, quase jornalista, capricorniana, apaixonada por trilhas sonoras e louca dos gatos.

Mais postagens de Luana Maria

Deixe um comentário